Joel Marinho

 

O incansável guerreiro



Textos

CONCERTO OU CONSERTO?
O português falado já é uma língua muito estranha, imagina você falar, traz uma manga para mim. Ao invés de vir uma deliciosa manga a pessoa trouxer a manga da camisa para matar sua fome. O português escrito então, um terror muitas vezes.
Ah, esses tais homófonos!
Foi assim que Júlio César, não, não estou falando daquele famoso romano não, esse era o secretário do Teatro Municipal da cidade de Jamburuí.
Júlio César ficou encarregado por seu chefe de fazer um convite oficial ao prefeito da cidade para o concerto que iria ter sábado à noite.
Então escreveu: “Ilustríssimo senhor prefeito Roberval Maia, é com muita honra que convidamos vossa excelência para um conserto no sábado às 19h00min horas”.
Ao receber aquele convite o prefeito resolveu fazer uma brincadeira com o escritor do convite. No sábado então vestiu uma roupa de eletricista, pegou uma caixa de ferramenta e pediu ao seu motorista leva-lo até o teatro.
Quando chegou ao local todos ficaram surpresos com aquela ação, uns boquiabertos achando que o prefeito havia enlouquecido.
Com o convite em uma das mãos e a caixa de ferramenta na outra deu boa noite e perguntou: “Foi daqui que pediram um eletricista”?
Todos surpreendidos com aquilo e ele então perguntou quem havia escrito o convicto, pois ele queria conhecer pessoalmente.
Júlio César se aproximou um pouco trêmulo e com a voz meio gaguejando disse: “Fo...fo...foi eu pre...pre..prefeito”!
Roberval deu um sorriso e disse: “Não tenha medo meu rapaz, só tome mais cuidado na próxima vez quando for escrever alguma coisa para não ser atropelado por um homófono, mas não lhe tiro a razão, essa nossa língua portuguesa atropela qualquer um. Mas já pensou se eu não tivesse uma caixa de ferramenta para consertar o seu concerto”?
Todos os presentes caíram na gargalhada e Júlio César passou o espetáculo todo pensando: “Vou ser demitido pela manhã”.
Na manhã seguinte o prefeito mandou uma caixa de ferramenta e dentro dela uns livros de gramática e um bilhete escrito de forma carinhosa.
“Desculpe a brincadeira rapaz, estou lhe mandando essas gramáticas para melhor se qualificar, sei que deve ser um homem esforçado e por isso lhe desejo toda a sorte do mundo, mas não deixe que a gramática derrube você. Um abraço do prefeito Roberval”.
A partir daquele momento Júlio César se dedicou para consertar seus escritos antes de fazer os convites oficiais para o concerto.
Ai como sofro também, Júlio César!  Às vezes o português me passa cada rasteira, então tenho que recorrer aos dicionários e as gramáticas, mesmo assim ainda não é com certeza absoluta se é CERTO OU “SERTO”, afinal os dois tem o mesmo som ao se pronunciar.
 
 
 
Joel Marinho
Enviado por Joel Marinho em 08/12/2019


Comentários


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras