Joel Marinho

 

O incansável guerreiro



Textos

QUANDO AS PALAVRAS NÃO VÊM
Fogem as oalavras,
somem as rimas,
espera-se...
as horas passam,
tic, tac, tic, tac,
maldito relógio.
O tempo se torna infinito,
o embaraço se torna inimigo,
penso comigo:
Por que escolhi ser poeta?
Meus pensamentos disparam tal qual metralhadora nervosa,
volto a minha infância,
Aquele cheiro de cravo, o colorido das rosas;
meus olhos fechados,
recordações afloradas,
ouço revoadas,
pássaro cantando,
um mundo encantado,
as lágrimas caem.
Um mergulho profundo no passado
e as palavras?
Ah, as palavras insistem em não vir.
JOEL MARINHO

Prosa poética inicialmente publicada no livro de Antologia Poética Poesia Livre 2018, concurso nacional novos poetas.
Joel Marinho
Enviado por Joel Marinho em 22/08/2020


Comentários


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras